Red ferroviaria

Modal ferroviário e sua importância para o escoamento logístico

A produção interna do Brasil é bastante relevante e compõe grande parte do PIB nacional. Mas, as exportações de insumos ou serviços também têm sua relevância, representando cerca de 14% do total do PIB brasileiro. A exportação depende dos meios de transporte disponíveis para levar os produtos para fora do país. O principal deles, no nosso país, é o setor portuário. Para que esses insumos cheguem até os portos nacionais, o modal rodoviário e o modal ferroviário são os mais importantes auxiliares.

Diversos insumos se enquadram na categoria dos itens que são transportados. A maioria depende da produção do agronegócio ou então das indústrias. O aço, por exemplo, é um item fundamental para a economia brasileira, visto que é usado em diferentes setores comerciais.

A produção do aço, inclusive, vem crescendo nos últimos meses. Em setembro de 2020, o crescimento foi de 7,5% em relação ao mês anterior, somando mais de 2,6 milhões de toneladas produzidas neste mês. Mas, se contarmos a produção de janeiro até setembro deste ano, houve uma queda de cerca de 9,7% em relação ao mesmo período em 2019. No total, entre  janeiro e setembro, a produção foi de mais de 22 milhões de toneladas. 

Em torno de 40% ou 50% do aço produzido nas siderúrgicas brasileiras são exportados. Esse número varia de acordo com a movimentação interna do país, atendendo às demandas impostas pelo mercado nacional.

Como o principal meio de exportação do país, tanto do aço, como de outros produtos, é o portuário, a logística por trás do escoamento desses itens é essencial para o seu pleno funcionamento.

De acordo com a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ), de janeiro até julho de 2020 foram movimentadas cerca de 221,15 milhões de toneladas de insumos nacionais. 

O produto com maior movimentação nesse período, com cerca de 22%, não é classificado, mas foi transportado em contêineres até os portos. Em seguida, temos a soja (17,66%), outros produtos (15,35%), minério de ferro (10,79%) e derivados do petróleo (10,20%).

Dependência do modal ferroviário

Dependência do modal ferroviário

A exportação só consegue ser um aspecto importante da economia brasileira porque existem meios de transportar as cargas até os portos que, consequentemente, alcança os países parceiros econômicos do Brasil. 

De um modo geral, nosso país ainda depende muito do setor rodoviário para o escoamento de cargas. Cerca de 61% de todas as cargas transportadas passam pelas rodovias nacionais, enquanto que pelo modal ferroviário passam pouco menos de 22%.

Os desafios para o crescimento de setores produtivos importantes da economia brasileira, como o segmento industrial e do agronegócio, passam pela necessidade de estabelecer um equilíbrio entre os setores de transporte rodoviário e o modal ferroviário.

Por conta da logística mais prática e menos encarecida do setor ferroviário, realizar o escoamento de cargas para os portos, pelas ferrovias, parece cada vez mais um negócio vantajoso.

O modal ferroviário impõe uma logística mais eficaz, consegue carregar uma quantidade de cargas muito maior em uma só viagem, os fretes são mais baratos por conta da ausência de pedágios e as viagens são mais rápidas. 

Justamente por isso, o crescimento econômico do país, principalmente em relação ao agronegócio e às indústrias, esbarra nessa falta de competitividade do modal ferroviário, que é cada vez mais notória em relação ao volume de escoamento de cargas para os portos nacionais.

A boa notícia é que o número de cargas transportadas pelas ferrovias até os portos vem aumentando, pelo menos em algumas regiões. Em 2019, por exemplo, o número de cargas transportadas pelo modal ferroviário até os principais portos do Paraná obteve um acréscimo de 15%. No total, mais de 3,2 milhões de toneladas chegaram aos portos paranaenses pelas ferrovias, superando as 2,8 milhões alcançadas em 2018.

Agronegócio e as ferrovias

Agronegócio e as ferrovias

De acordo com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), o agronegócio terminou o ano de 2019 representando cerca de 21% de todo o PIB nacional.

Esse número, bastante expressivo, mostra que o agronegócio tem suma importância para a economia do país e deve seguir como um dos expoentes do crescimento econômico nacional nos próximos anos.

Apesar disso, os dados numéricos poderiam ser ainda maiores, se o Brasil apresentasse uma infraestrutura logística de transporte mais adequada para o setor. 

Por conta da falta de infraestrutura nas rodovias, com vias esburacadas e sem pavimentação, o setor rodoviário, que transporta cerca de 61% das cargas do país, vem se tornando um modal ineficaz para o crescimento do agronegócio.


Com isso, a principal alternativa é o modal ferroviário. Como apresentamos, o setor das ferrovias dispõe de algumas vantagens em relação ao seu “concorrente”, como os custos logísticos inferiores, melhores condições nas vias, viagens mais curtas e sem trânsito, e a quantidade de carga que pode ser carregada em uma só viagem pelos trens.

Dessa maneira, o crescimento do escoamento de cargas para os portos nacionais vindos do agronegócio depende muito da expansão ferroviária. Para entender melhor sobre isso, basta acessar aqui em que abordamos a expansão do agronegócio relacionada ao crescimento das ferrovias.

Siderúrgicas e ferrovia 

Siderúrgicas e ferrovia

Como dissemos no início do texto, o aço, principal insumo produzido nas indústrias siderúrgicas, também depende da fomentação de investimentos no modal ferroviário.

Em 2020, até setembro deste ano, foram exportadas cerca de 8,6 milhões de toneladas de aço para fora do país, representando um valor total de US $4,2 bilhões. 

Esse número também poderia ser maior, se houvesse demanda e capacidade de locomoção o suficiente para atender à produção do setor. 

Como as exportações representam em torno de 40 a 50% dos insumos produzidos nas siderúrgicas, a capacidade produtiva deveria ser aprimorada para que esse número represente muito mais do que os 8,6 milhões de toneladas exportadas em 2020.

Dessa forma, as siderúrgicas ficam dependentes do crescimento do modal ferroviário para conseguir expandir sua capacidade produtiva, pois dessa maneira teriam como transportar as cargas produzidas sem que houvesse desperdício. 

O crescimento do modal ferroviário impacta a produção e o transporte das siderúrgicas, sendo um potencial gerador de mais receitas para o setor e para a economia nacional. 

Conclusão sobre a importância do modal ferroviário

Tendo em vista as vantagens que o modal ferroviário apresenta, principalmente em relação às rodovias, conseguimos concluir com o artigo que o crescimento do escoamento de cargas para os portos nacionais, passa também pela expansão das ferrovias brasileiras. Com o aumento de ferrovias, setores importantes de produção, como as indústrias e o agronegócio, teriam um leque maior de opções de transporte, o que aumentaria a capacidade produtiva desses segmentos. 

Fuentes: https://g1.globo.com/economia/agronegocios/noticia/2020/03/09/agronegocio-cresce-38percent-e-representa-21percent-do-pib-brasileiro-em-2019-diz-cna.ghtml

http://www.grupoccr.com.br/infra-em-movimento/infraestrutura/infraestrutura-e-desafio-para-o-avanco-do-agronegocio

https://www.logweb.com.br/transporte-de-cargas-por-trens-cresce-15-nos-portos-do-parana/#:~:text=Foram%203%2C2%20milh%C3%B5es%20de,modal%20rodovi%C3%A1rio%20caiu%20quase%2026%25.
https://pt.wilsonsons.com.br/exportacao-siderurgica/
https://diariodocomercio.com.br/economia/producao-de-aco-no-brasil-acumula-queda-de-97-entre-janeiro-e-setembro/
http://www.brasiliraq.com.br/o-brasil-economia/#:~:text=Ganhos%20de%20produtividade%20aliados%20%C3%A0,%24%202%2C367%20trilh%C3%B5es%20(2011).&text=Principais%20Parceiros%20de%20Exporta%C3%A7%C3%A3o%3A%20China,Jap%C3%A3o%2C%20Alemanha%20(2011).

https://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2020-10/producao-brasileira-de-aco-cresce-75-em-setembro#:~:text=A%20produ%C3%A7%C3%A3o%20brasileira%20de%20a%C3%A7o,%2C%20de%2031%2C9%25.

https://www.abras.com.br/clipping.php?area=1&clipping=58554

https://www.ibge.gov.br/explica/pib.php

https://arte.folha.uol.com.br/mercado/2020/entenda-como-e-feito-o-pib/

https://pt.theglobaleconomy.com/rankings/exports/#:~:text=Exporta%C3%A7%C3%B5es%2C%20percentagem%20do%20PIB%20%2D%20Classifica%C3%A7%C3%B5es%20de%20pa%C3%ADses&text=O%20m%C3%A9dio%20por%202019%20foi%2045.51%20por%20cento.

https://valor.globo.com/empresas/noticia/2020/01/23/consumo-aparente-de-aco-recua-27percent-em-2019-diz-aco-brasil.ghtml

https://webportos.labtrans.ufsc.br/Brasil/Movimentacao

Deja tu comentario

es_ES
pt_BR en_US es_ES