Ferrovias

Gerenciamento de risco no transporte de cargas: medidas necessárias para aumentar a segurança

Quando se pensa em discussões a respeito do transporte e distribuição de cargas, raramente se pensa em questões mais burocráticas como a segurança. Porém, é surpreendente como ela pode acabar afetando todo um sistema logístico, podendo abalar fortemente estruturas concretas como o funcionamento de veículos, comprometendo todo o planejamento de uma empresa ou centro de entregas. Por isso mesmo, o gerenciamento de risco no transporte de cargas não é algo a ser tratado levianamente, exigindo organização e colaboração.

Ele funciona de maneira a prever qualquer tipo de problema que pode surgir dentro de um sistema grande como as entregas, que pode ser influenciada por diversos fatores, internos e externos. Com uma lógica parecida com a da distribuição, basta um conhecimento prévio a respeito dos cuidados necessários, junto de um planejamento estratégico, para que nenhum gasto desnecessário seja realizado durante o funcionamento do transporte de cargas.

Planejamento e gestão no transporte de cargas

gerenciamento de risco no transporte de cargas

O planejamento, como descrito acima, é algo que deve estar presente em todos os processos de uma troca econômica. Tudo que envolve a gestão de um negócio, seja ele para o transporte de cargas ou não, depende do cálculo prévio de certos processos, no caso do gerenciamento de risco no transporte de cargas, também envolve calcular tudo que for necessário para que a entrega seja realizada da maneira mais otimizada possível.

Incluindo entender qual é o melhor modal para um tipo de produto (no caso da soja e do milho, é recomendado a utilização de ferrovias, por exemplo), adaptar esse modal para que o veículo que está transportando assegure a viagem, ao mesmo tempo que também planejando a melhor rota, onde os riscos sempre devem ser os menores possíveis.

Pode parecer algo já conhecido, porém o cuidado com o veículo na hora do transporte faz parte de quase todo o processo de segurança. A utilização de vagões especiais para produtos sensíveis, a organização correta do número de vagões necessários, e se haverá ou não troca entre modais, tudo isso funciona dentro do planejamento e gerenciamento de risco de transporte de cargas.

Gerenciamento de risco no transporte de cargas

policial com cachorro

O gerenciamento de risco no transporte de cargas, como tem sido descrito até agora, nada mais é do que uma medida de segurança mais organizada, com foco no planejamento prévio e uso de tecnologias inteligentes, para aliar a logística a todos os processos importantes de distribuição. A melhor maneira de entender isso é ver o gerenciamento de risco no transporte de cargas como uma maneira de redobrar a segurança e garantir a fiscalização, que sempre corre o risco de ser comprometida.

Isso ocorre porque o gerenciamento de risco no transporte de cargas analisa certas questões a respeito de como problemas podem surgir, apesar das medidas normais e legais de fiscalização comum sempre terem existido.

Pensando em riscos como rotas com estradas ruins, veículos mal escolhidos, ou má distribuição de produtos dentro de contêineres, contêineres impróprios, é possível se preparar com medidas que normalmente não são tão óbvias quando se planeja uma medida de segurança.

Isso justamente porque a logística já está sendo integrada no gerenciamento de risco do transporte de cargas, fazendo com que as soluções venham de medidas antecipadas, todas de acordo com outros setores da empresa para garantir a segurança tanto do produto, como do veículo e do transportador.

Dentre as soluções para os riscos, se encontram, por exemplo, medidas que envolvem o recrutamento de equipe adequada de segurança, que seja confiável na fiscalização das tecnicalidades da entrega. Também é possível planejar e gerenciar as rotas de acordo com uma relação custo e risco, minimizando qualquer dano que pode ser causado durante as entregas. 

A utilização de terceiros, através do uso de seguro de carga, ou de tecnologia proporcionada por algum serviço externo, pode acabar ajudando muito também no gerenciamento de risco no transporte de cargas. Isso porque acaba diminuindo a responsabilidade total da equipe de segurança, que pode então planejar estratégias mais eficientes de rota, já que então tem mais liberdade e opção de recursos com uma assistência externa garantida.

Como fazer um bom gerenciamento de risco no transporte de cargas

funcionário de ferrovia

Atualmente, a melhor maneira de garantir um bom gerenciamento de risco no transporte de cargas tem sido através da utilização inteligente e integrada das ferrovias. Não que as rodovias se tratem de modais inseguras, porém as ferrovias, dentro do seu planejamento típico, proporcionam naturalmente maior tranquilidade na hora da distribuição, com um gerenciamento de risco bastante preparado.

Ainda é necessário todo o cuidado descrito acima, em que os vagões têm de ser cautelosamente escolhidos e definidos. Porém, esse passo básico em si já garante outras medidas de segurança também, como a possibilidade do uso de tecnologias específicas de pesagem e regulação.

A MASSA tem diversas opções de detecção para vagões, sejam eles especiais ou não, que garantem maior agilidade na hora de uma fiscalização, o que poderia durar mais tempo, caso a commodity estivesse sendo distribuída por outro modal. Isso ocorre porque existem tecnologias presentes na MASSA, mais especificamente balanças dinâmicas, capazes de fazer a pesagem de vagões simultaneamente. Isso garante mais rapidez, pois há um corte substancial nos passos burocráticos da distribuição. Contanto que os vagões estejam em boas condições, e as normas de segurança sejam seguidas, a MASSA tem toda a liberdade para poder realizar a pesagem facilmente.

É fato que trens são menos suscetíveis a roubos e furtos, e muito se dá por conta desse planejamento antecipado que certas tecnologias garantem. A fiscalização, hoje, nunca foi tão responsável, ao mesmo tempo que também nunca foi tão rápida.

Deixe seucomentário

pt_BR
en_US es_ES pt_BR