Setor Ferroviário

Plano nacional de logística: quais seus objetivos

Para falarmos sobre o Plano Nacional de Logística, que explicaremos mais à frente o que é e quais são seus principais objetivos, é importante traçar um panorama de como está estabelecida a logística de transporte do país, que é fundamental para que a produção consiga ser bem estipulada e escoada.

Quando falamos em logística de transporte, estamos discutindo todos os processos que envolvem essa etapa de transporte. Ou seja, é preciso levar em consideração os procedimentos estabelecidos, quais serão os modais de transporte utilizados no escoamento das mercadorias, os custos, o tempo de viagem, a estrutura das vias e dos veículos, entre outros fatores.

Essas ideias são fundamentais para que as empresas consigam fazer com que suas mercadorias sejam transportadas para os destinos planejados, seja no mercado interno ou então para os portos que realizarão a exportação desses itens.

Atualmente, os modais de transporte mais utilizados para esses meios são o rodoviário e o ferroviário, sendo que existe uma importante predominância das rodovias. Apesar disso, as ferrovias possuem um papel fundamental em diversas regiões do país, pois possibilita um transporte mais barato, rápido e eficiente. Os modais aéreo e dutoviário ficam em segundo plano nesse balanço. 

Para que os setores de transporte nacional continuem se desenvolvendo, melhorando suas práticas, aprimorando as tecnologias e encontrando soluções importantes para que a produção consiga crescer conjuntamente, é fundamental que existam esferas especializadas para saber como organizar e buscar essas soluções.

É nesse sentido que precisamos falar do Plano Nacional de Logística, estabelecido pelo governo federal justamente para cuidar de questões como essas. Aqui,  explicaremos sobre o que se trata, objetivos, nuances e futuro do Plano Nacional de Logística.

O que é o Plano nacional de logística? 

plano nacional de logística

O Plano Nacional de Logística (PNL) nada mais é do que um planejamento estabelecido pelo governo para determinar quais serão as diretrizes de investimentos, inovações, mudanças e continuidades no sistema logístico do país, principalmente em relação aos modais de transporte. 

O PNL foi desenvolvido em 2006, através de uma ideia entre o Ministério dos Transportes nacional e do Ministério da Defesa para que surgissem novas ideias de melhorias no setor de transporte brasileiro. 

Dessa maneira, através de encontros e reuniões constantes com grupos envolvidos nos processos de transporte, como o próprio governo federal, empresas de logística, empresas de transporte, sindicatos, entre outras, são discutidas ações de mudanças, verificação do panorama, sempre buscando investimentos para que esse setor seja aprimorado, beneficiando todos os envolvidos.

Quais os objetivos da PNL?

plano nacional de logística ferroviária

Entendendo o que é o Plano Nacional de Logística, fica mais fácil de compreender e acompanhar quais são os principais objetivos desse plano nos últimos anos e nos anos futuros.

De modo geral, o objetivo principal do Plano Nacional de Logística é propiciar para os envolvidos uma base de dados o suficiente para que eles possam planejar adequadamente quais mudanças devem ocorrer  e quais caminhos seguir.

Além disso, existem outros objetivos que são estabelecidos pelo próprio Plano Nacional de Logística, e que são expostos para conhecimento do público, tais como:

Dentre as finalidades do PNLT estão:

  • Estabelecer uma base de dados do setor transporte;
  • Atualização constante dos dados, considerando as especificidades de cada região;
  • Suporte logístico no planejamento das empresas;
  • Otimização dos custos;
  • Buscar soluções para aprimorar os modais aquaviários e ferroviários por conta do custo-benefício de ambos;
  • Preocupação com questões ambientais nos processos de intervenção logística.

Planos setoriais e seus objetivos

diversos modais de transporte

Além de existir um plano concreto, que aborda todos os aspectos da logística de transporte, apresentando ideias para mudanças e inovações no setor, o plano também pode ser dividido em planos setoriais, que são os seguintes:

  • Transportes terrestres (ferrovias e rodovias);
  • Transportes aquaviários;
  • Transportes aéreos;

Como os transportes terrestres são os que ocupam um local privilegiado na cadeia de transportes mais utilizados, ele acaba sendo o que possui maior foco no Plano Nacional de Logística. 

Atualmente, existem mais de 200 mil km de rodovias e mais de 30 mil km de ferrovias que precisam ser trabalhados e administrados, além de ideias para ampliação da frota e da capacidade dos transportes.

Nesse sentido, o Plano Setorial de transportes terrestres, incluído no Plano Nacional de Logística, tem certos objetivos específico para esses segmentos de transporte, tais como:

  • Desenvolver a infraestrutura das vias;
  • Trabalhar a segurança das vias;
  • Sustentabilidade;
  • Melhorar o desempenho logístico;
  • Desenvolvimento tecnológico;
  • Outros.

Os outros planos setoriais também possuem objetivos semelhantes, sempre visando qualificar os setores em que são responsáveis, levando em conta naturalmente as necessidades e particularidade de cada modal de transporte que está sendo trabalhado. 

Plano nacional de logística 2035

trilhos de trem

Apesar de o Plano Nacional de Logística apresentar soluções constantes de inovações para o setor logístico de transportes, o constante avanço tecnológico, mudanças climáticas, ideias de sustentabilidade, entre outros assuntos, acabam exigindo que as instâncias públicas do Brasil aprimorem cada vez mais suas ideias para melhorar esse setor.

É nesse sentido que surgiu o Plano Nacional de Logística 2035 (PNL 2035). Assim como o plano tradicional, o PNL 2035 tem como objetivo o trabalho em relação a logística de transporte do Brasil.

Entretanto, esse plano é considerado mais moderno e adequado para o momento, visto que, tem como objetivo trabalhar todos os modais de transporte disponíveis, a intermodalidade, sistema de cabotagem, entre outros aspectos.

A ideia em cima do nome desse plano é devido ao prazo para que os investimentos sejam finalizados. Nesse sentido, o planejamento do plano prevê investimentos pesados no sistema de transporte nacional até o ano de 2035. A estimativa é que sejam investidos mais de 400 bilhões de reais durante esse período.

Com o Plano Nacional de Logística 2035, a ideia é que as matrizes de transporte nacionais encontrem um equilíbrio maior do que temos hoje em dia. Com isso, os investimentos serão divididos, e não apenas destinados em massa para as rodovias, como foi feito em décadas passadas.

Além disso, o plano também estabelece parâmetros tanto para o transporte de pessoas como de cargas, garantindo que ambos se saiam beneficiados com a tomada de novos investimentos, desenvolvimento de práticas de transportes e outros ganhos importantes. 

Conclusão

Como vimos, o Plano Nacional de Logística é um importante meio que as instâncias públicas possuem para conseguir aprimorar cada vez mais a logística de transporte do país. Mas, além do que já estabelecido, novos projetos estão surgindo para que esse crescimento seja potencializado, com novas tecnologias, mais velocidade e menos burocracia para que as coisas fluam. 

Fontes:

https://www.epl.gov.br/transporte-inter-regional-de-carga-no-brasil-panorama-2015

http://hidroviaveis.com.br/wp-content/uploads/2018/10/Plano-Nacional-de-Log%C3%ADstica.pdf

Deixe seucomentário

pt_BR
en_US es_ES pt_BR