Malha ferroviária

Conheça a rota da ferrovia transcontinental EUA

No sistema globalizado, é fundamental que os países possuam malhas ferroviárias bem estruturadas que possibilitem logísticas de transporte. Os EUA é um grande exemplo ao possuir a conhecida ferrovia transcontinental EUA. Com uma das maiores extensões territoriais do mundo, o país norte-americano possui, também, uma economia de ponta.

Em um local onde o fluxo de produtos é intenso, e o país tem proporções continentais, é fundamental contar com vias alternativas de transporte que não dependem apenas, por exemplo, das rodovias. Nos EUA, essas operações funcionam de maneira muito bem estruturada, afinal, há muito tempo existe um sistema de transporte que é projetado para funcionar de maneira coesa e sem grandes problemas.

Um exemplo claro de planejamento a longo prazo dos norte-americanos é a criação da ferrovia transcontinental EUA. Conhecida como First Transcontinental Railroad, ela foi construída no século XIX, ou seja, há quase 200 anos, o país já estruturava um esquema de logística de transportes que pudesse facilitar e diversificar as alternativas do meio ao longo dos anos e de acordo com as necessidades impostas.

No ano de 1862, o Ato Ferroviário do Pacífico recebeu a autorização do governo norte-americano para iniciar as obras da ferrovia transcontinental EUA. A obra foi finalizada no ano de 1869. Há mais de 150 anos atuando em prol da logística norte-americana, a ferrovia transcontinental EUA é um  fator fundamental para que o país seja uma potência ferroviária até os dias atuais.

História da primeira ferrovia transcontinental

ferrovia transcontinental eua

Como já introduzido no capítulo anterior, a ferrovia transcontinental EUA começou a ser construída em 1862 e, em apenas sete anos depois, foi concluída. A construção da malha ferroviária foi um pedido que já acontecia há muitos anos. Ela foi construída entre Councill Bluffs, Iowa e Alameda, Califórnia. Portanto, a malha ferroviária cruza lados distintos do país continental. Naquela época, entretanto, as dificuldades para construção da ferrovia eram enormes. 

Ainda assim, o resultado foi surpreendente. Na época, os EUA já indicavam uma vantagem sobre países europeus, pois chegavam com a primeira ferrovia que ligava duas costas marítimas no mundo. No entanto, vale ressaltar novamente as dificuldades encontradas pelos engenheiros, à época, para a construção da malha ferroviária. Diversos eram os obstáculos ao longo dos quilômetros nos quais cruzavam a ferrovia transcontinental EUA, como as dificuldades geográficas impostas em cada região para implementação da rodovia. Porém, seus resultados foram tão significativos no período da construção que a obra foi considerada o maior feito tecnológico do século XIX nos EUA, portanto, seu efeito na economia nacional foi marcante.

Motivações para a construção da ferrovia transcontinental

A dificuldade em locomoção já era um grande problema enfrentado pelos norte-americanos no século XIX. Dessa forma, muitos contestavam o governo por melhorias tecnológicas que favorecessem um transporte mais eficiente. Assim, o contexto daquele momento histórico era favorável para o investimento em uma grande ferrovia. Afinal, era o tipo de transporte mais efetivo da época e com custos menos elevados de manutenção ao longo dos anos.

Portanto, a conquista da ferrovia transcontinental EUA foi, antes de mais nada, do povo norte-americano. Uma malha ferroviária que ligava a Costa Oeste à Costa Leste do país era, sem dúvidas, uma revolução para o momento. Com isso, a principal motivação para o povo norte-americano era, de fato, mais segurança, rapidez e economia para realizar grandes viagens. Por se tratar de um país gigantesco, uma malha ferroviária que abrange grande parte do território é uma vantagem.

Do ponto de vista empresarial, a ferrovia transcontinental EUA foi também motivada por uma diminuição no tempo de transporte de todo o tipo de material, de uma forma geral e resumida. Assim, os setores comerciais lucravam com o despacho cada vez mais rápido e eficaz. Agora, portanto, ao invés de demorar meses para a chegada de uma mercadoria, eram necessários apenas alguns dias.

Consequências da construção da ferrovia

ferrovia nos eua

É intuitivo, portanto, imaginar os benefícios que a construção da ferrovia transcontinental EUA trouxe para o país. Benefícios com a redução do tempo de locomoção e facilidade de transporte foram fundamentais para a evolução econômica norte-americana.

Inclusive, a construção da ferrovia foi, sem dúvidas, um marco importante na história norte-americana. Naquele momento, os EUA despontaram como grandes concorrentes ao topo da economia mundial, brigando com países europeus.

No entanto, para a construção dessa malha ferroviária que atravessa as duas costas do país continental, foram geradas consequências. Neste caso, a perda de grande parte da população indígena que residia no interior do país. Após a criação da ferrovia, no ano de 1890, grande parte da população indígena que sobreviveu aos anos de construção foram transferidos de suas terras ancestrais para reservas separadas pelo governo norte-americano. A medida, no entanto, era vista como obrigatória por parte do governo e das administradoras responsáveis pela obra. Assim, um episódio triste marcou uma das mais importantes criações tecnológicas do país.

Situação atual da ferrovia transcontinental EUA

trilhos de trem

Compreender a história é fundamental para entender a contextualização em que a ferrovia transcontinental EUA se insere. Assim, ressaltar aspectos importantes ao longo de mais de 150 anos são primordiais. Mesmo com seus pontos negativos durante o período de construção, a ferrovia é até os dias atuais um grande exemplo de superioridade tecnológica dos norte-americanos durante o século XIX. Além disso, a malha ferroviária que corta as duas costas do país é, até os dias de hoje, um importante caminho para a logística comercial e empresarial de diversos setores que abastecem a economia norte-americana. 

Com o passar dos anos, o país foi também implementado outros sistemas de logística de transportes. Dessa forma, soube equilibrar muito bem diferentes meios, não sofrendo consequências de uma demanda excessiva em determinada área. É possível, portanto, notar a importância da ferrovia transcontinental EUA para a formação econômica do país ao longo desses últimos 140 anos e como a logística favoreceu o crescimento norte-americano.

Deixe seucomentário

pt_BR
en_US es_ES pt_BR