Malha ferroviária

Malha ferroviária Japão: O que podemos aprender com os japoneses?

A malha ferroviária do Japão possui uma diferença fundamental do resto das malhas ferroviárias do mundo, ela é privatizada. Tal diferença muda  toda sua história e como ela se desenvolveu atuando de maneira incisiva para que as ferrovias no Japão não só continuassem, mas também se adaptassem ao futuro. Sendo um país de alto desenvolvimento, as ferrovias por lá passaram por eventos similares ao do resto do mundo.

História da ferrovia no Japão

linha de trem no japão

A história das ferrovias no Japão é feita tanto de processos que foram comuns a outros países com linhas ferroviárias, quanto de processos singulares que fazem ela ser destacada de outros sistemas. Ela começa como os Estados Unidos e a Europa, construindo linhas ferroviárias independentes e privadas durante o curso do século XIX, até ser tomada pelo Estado no século XX. Ao fim da Segunda Guerra, foi tomada a direção contrária do resto do mundo, enquanto a maioria dos governos continuava a se adaptar e organizar suas ferrovias, o Japão decidiu dar o controle de suas ferrovias e estações públicas para empresas privadas. Essa tática, que evoluiu conforme o tempo chegando até mesmo a ser adaptada em um grande grupo de empresas privadas (conhecidas desde 1987 como Japan Railroads), foi a chave para que o país se destacasse em desempenho com suas próprias malhas ferroviárias.

Essa história de sucesso está bastante além de um golpe de sorte, pois o país provou que o êxito da malha ferroviária no Japão estava justamente na organização e logística bem aplicada. Pois, apesar do Japão ser um país desenvolvido, passou por grandes crises financeiras, econômicas e humanitárias. Crises que vários outros países desenvolvidos também passaram e mesmo assim não souberam coordenar para que fosse algo que desse suporte ao país.

Ao estabelecer uma relação de ajuda com as empresas privadas para além do financiamento, dando a elas o controle dos transportes públicos, o Estado pode prevalecer e desenvolver um sistema que hoje supera qualquer um no mundo em função do transporte de pessoas.

Sistema de privatização que deu certo

homem e menino na janela do trem

Grande parte da malha ferroviária no Japão serve para o transporte de pessoas. Com um sistema intensivo de construção de estações, plataformas e trilhas, todo o setor ferroviário japonês, não só é controlado por empresas privadas, como também é construído e apoiado por elas.

Esse sistema de privatização que data desde o fim da Segunda Guerra Mundial possui características únicas para além de ser um sistema privado, pois é um sistema privado com denominação pública, com acesso a setores públicos e planejamentos apoiados pelo governo.

O Shinkansen, que veremos mais adiante separadamente, é um exemplo clássico disso, tendo sido construído com um malha de Hokkaido até Tóquio com empresas privadas, através do apoio do Estado que tinha como interesse a construção do primeiro trem bala no país para apoiar o transporte de pessoas nas Olimpíadas de 1964.

Malha ferroviária Japão: Transporte de cargas pelas ferrovias

A Japan Freight Railroad Company é a empresa responsável pela malha ferroviária no Japão que transporta as cargas. Sendo a única das sete empresas que compõem o conglomerado que controla a malha ferroviária no Japão, ela chega a ser responsável por 99% do transporte de carga por ferrovias.

Apesar de possuir um histórico grande e impressionante de ferrovias, o transporte de cargas não é o foco principal do país, visto que a composição de ilhas da geografia local força as cargas a serem transportadas em grande parte por barco.

Talvez, com a maior conexão proporcionada pelas ferrovias durante os anos, a malha ferroviária no Japão se adapte a um sistema ainda mais amplo e possa assim assumir também responsabilidade pelo transporte de cargas no país. Apesar de não ter um grande histórico com produção de minérios, por exemplo, quem sabe o que poderia surgir de um apoio fiel dos trens dentro do país.

Shinkansen

Os Shinkansen, também conhecidos como “trem bala”, foram concebidos e feitos no Japão e são produzidos até hoje. Construído para suportar as Olimpíadas de Verão em Tóquio em 1964, o primeiro foi feito com um intuito que perdura até hoje, o de controlar bem o horário das linhas e permanecer pontual apesar do grande número de pessoas transportadas.

Com atrasos registrados em apenas alguns segundos, uma das características mais impressionantes dos Shinkansen é o fato de que também são trens de alta segurança. Com malhas construídas exclusivamente para eles e suas características particulares, os trens também são capazes de se adaptar a medidas ainda mais eficientes de velocidade.

São símbolos únicos de um país que demonstra como é possível permanecer dentro de uma base sólida de segurança e pontualidade, e ainda manter o processo de desenvolvimento em curso.

malha ferroviária japão

Conclusão: malha ferroviária Japão

Como foi demonstrado, o que a malha ferroviária no Japão demonstra é que as oportunidades de desenvolvimento só se tornam possíveis através de uma conversa entre o setor público e privado. Ao se diferenciar do resto do mundo, inclusive dos países com as maiores linhas ferroviárias do mundo (Estados Unidos e China), o Japão foi capaz de dar nas mãos de suas empresas uma parte do sistema público de transporte e fazer disso uma evolução que afetasse toda a sua organização econômica. 

Com objetivos de continuar ampliando sua malha ferroviária, o Japão vê no futuro do país cada vez mais acesso de todos os lugares para todos e em qualquer horário, e quem sabe com a expansão desse setor, outros lucros saiam disso através das ampliações dos transportes de carga.

Fontes:

https://www.transtrilhos.com/2014/10/trens-de-cargas-no-japao.html

http://japaocustomizado.blogspot.com/2017/08/malha-ferroviaria-na-grande-tokyo.html

https://en.wikipedia.org/wiki/Japan_Freight_Railway_Company

Deixe seucomentário

pt_BR
en_US es_ES pt_BR