Logística

Como evitar perdas no transporte de grãos!

O agronegócio é um dos principais setores econômicos do Brasil na atualidade. Em 2019, o agronegócio representou cerca de 21,4% do PIB nacional, e a porcentagem pode aumentar nos próximos anos. Visando esse aumento, é fundamental que o transporte de grãos seja feito com cada vez mais qualidade logística e de infraestrutura.

Os principais grãos que são transportados pelo agronegócio, são: soja, milho, trigo e outros tipos de cereais. Para a realização desse transporte, dois modais são essenciais: o rodoviário e o ferroviário. 

Ambos os setores de transporte tem imprescindível participação no transporte de cargas no país, possibilitando o escoamento dos produtos para o mercado interno e também para os portos, permitindo a exportação.

Somando todas as atividades, a estimativa elaborada pela Confederação Nacional de Transporte é de que 61% das cargas sejam transportadas pelas rodovias, enquanto em torno de 21% pelas ferrovias. 

Falando especificamente do agronegócio e do transporte de grãos, as ferrovias têm uma participação um pouco maior: 30% das cargas transportadas, enquanto as rodovias ocupam cerca de 60% e outros modais pertencem aos 10% restantes. 

Essa maior divisão é importante por várias razões: logística de transporte, redução de custos, viagens mais rápidas e, principalmente, diminuição da perda de grãos.

Qualquer setor produtivo quer evitar todo tipo de prejuízo, e no agronegócio isso não é diferente. Por isso, evitar a perda de grãos durante o transporte desses itens é importantíssimo. Mas, por que e como isso ocorre? É o que falaremos mais aprofundadamente ao longo do texto, então fique conosco e confira!

Perda de grãos transportados

Perda de grãos transportados

Bom, acho que o termo em específico já deixa claro o que estamos falando, que é a perda de grãos durante o transporte desses itens para os locais previamente planejados. São vários motivos que levam isso a acontecer, e passaremos a limpo diversos desses problemas e apontaremos soluções que podem ser utilizadas para evitar que isso aconteça durante o transporte de grãos.

Disparidade entre os setores

Disparidade entre os setores

Problemas logísticos são um dos principais fatores da perda de insumos durante o transporte de grãos. Esse fator é determinante quando levamos em conta que as rodovias ainda predominam o transporte de cargas no Brasil, incluindo os commodities transportados do agronegócio.

Para esse transporte pelas rodovias, ou seja, pelos caminhões, diversos problemas logísticos importantes acarretam na perda de grãos durante o trajeto para, principalmente, os portos nacionais. A seguir, falaremos os principais aspectos logísticos que atrapalham os processos de transporte de grãos sem que aconteça perdas significativas

Armazenamento inadequado durante o transporte de grãos

Armazenamento inadequado durante o transporte de grãos

A perda dos grãos pode acontecer por conta de uma logística de armazenamento mal feita. Os grãos normalmente são armazenados em silos, que são as estruturas mais adequadas para esse tipo de ação. 

Ainda na produção e no acolhimento dos principais grãos, como o milho, a soja e o trigo, alguns agentes prejudiciais podem acabar causando sérios danos a esses alimentos, tornando necessário o descarte. Entre esses agentes, insetos-pragas, fungos, micotoxinas e resíduos de agrotóxicos são os principais. 

Dessa forma, quando há uma safra de grãos contaminada com esses tipos de agentes, elas podem prejudicar outras safras se forem armazenadas em espaços próximos. Por isso, existe uma série de recomendações feita por especialistas para amenizar ou evitar esse tipo de problema, tanto durante a colheita, como na pós-colheita e no armazenamento, tais como:

  • Separar safras novas de antigas;
  • Limpeza do grão antes do armazenamento;
  • Impermeabilização de estruturas como pisos, paredes e telhados;
  • Aplicação de inseticidas nos espaços de armazenamento;
  • Armazenar o produto com o teor de umidade em torno de 13%

Trajeto

Trajeto

Outra etapa que ocorre uma boa parte da porcentagem de perda de commodities agrícolas, é durante o transporte de grãos. E isso acontece por diversas razões, que explicaremos na sequência.

Para que um modal de transporte funcione da maneira adequada, a logística das empresas operantes deve ser a mais organizada possível. Infelizmente, essa logística ainda é prejudicada por algumas questões, principalmente quando falamos do setor rodoviário.

De acordo com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, o Brasil possui cerca de 1,7 milhões de km de rodovias, mas apenas pouco mais de 220 mil km é pavimentado, representando 13% do total.

A falta de pavimentação é um dos principais problemas durante o transporte de grãos pelas rodovias, que seguem sendo o principal meio de transporte do agronegócio. Com as estradas e rodovias esburacadas, com problemas estruturais severos, o caminhão acaba sofrendo com dificuldades durante as viagens, balançando muito e, consequentemente, fazendo com que muitos grãos sejam derrubados pelo caminho. 

O tempo de viagem também é um fator determinante para a perda de grãos. Como os caminhões, muitas vezes, não proporcionam o melhor tipo de armazenamento durante as viagens, não mantendo, principalmente, os grãos nas temperaturas adequadas, o tempo em que eles ficam presos nos veículos podem ser prejudiciais.

Esse também é um aspecto relevante para a logística das empresas, pois é imprescindível encontrar soluções para que as viagens durem o necessário para que os itens não sejam prejudicados durante o transporte de grãos, ocasionando a perda de grãos em grandes proporções. 

De acordo com o Grupo de Pesquisa e Extensão de Logística Agroindustrial da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), cerca de 13,3 % de toda a perda de grãos acontece no setor rodoviário, número que representa bem os problemas estruturais que o setor vive durante o transporte de grãos. 

Segundo uma reportagem do programa Globo Rural, do Grupo Globo, os agricultores perdem, em média, um valor entre 800 mil e 1 bilhão de reais com a perda durante o transporte de grãos. 

Portanto, as soluções mais práticas e cabíveis para evitar que essa grande quantidade de perdas aconteça, é a elaboração de planos logísticos mais eficientes, melhorar as condições das rodovias, fazer interligações com outros modais de transporte para diminuir o tempo de viagem e qualificar o armazenamento dos produtos para que eles não sejam prejudicados.

Problemas com a pesagem durante o transporte de grãos

Problemas com a pesagem durante o transporte de grãos

Assim como no setor rodoviário, o modal ferroviário também sofre com algumas perdas durante os processos de transporte de grãos, e elas podem ocorrer por conta de uma pesagem imprecisa dos vagões, proporcionando uma carga que se sobressai ao suportável, gerando a perda durante alguns procedimentos.

Essa pesagem inadequada acontece, essencialmente, quando a linha possui uma balança estática, que só consegue realizar as pesagens com os trens parados. Vários fatores influenciam nas pesagens quando os trens estão posicionados nas balanças estáticas, prejudicando a confiabilidade das pesagens.

Para que esses processos sejam mais confiáveis, evitando a perda de grãos, perda de confiabilidade do cliente nas pesagens, evitando prejuízos e etc, optar por uma Balança Dinâmica da Massa Automação e Pesagens é a melhor solução.

A empresa Massa oferece Balanças Dinâmicas que permitem que os vagões dos trens possam ser pesados mesmo com eles em movimento, evitando uma série de problemas recorrentes nas ferrovias e garantindo maior confiabilidade ao cliente para uma pesagem de qualidade e um transporte de grãos sem perdas significativas. Para saber mais, acesse o link aqui e veja os problemas mais recorrentes das balanças estáticas. 

Conclusão

Podemos concluir com o artigo que o agronegócio tem papel preponderante para a economia brasileira e, por isso, é fundamental que exista toda uma estratégia para que seja evitado a perda significativa de commodities agrícolas durante o transporte de grãos, visto que isso significa uma boa parcela da porcentagem de perda total dos grãos colhidos e trabalhados. Além disso, questões estruturais, como a aplicação de Balanças Dinâmicas, oferecidas pela MASSA Pesagem e Automação, nas ferrovias, podem ser soluções que atenuem consideravelmente esses tipos de problemas. 

Fontes complementares: https://www.researchgate.net/publication/329069266_Analise_de_perdas_e_extravios_no_transporte_ferroviario_de_graos

https://www.embrapa.br/busca-de-noticias/-/noticia/3860638/armazenamento-inadequado-de-graos-resulta-em-cerca-de-15-de-perdas

https://www1.folha.uol.com.br/fsp/dinheiro/fi0108200417.htm#:~:text=O%20Brasil%20perde%20cerca%20de,conta%20a%20safra%20deste%20ano.&text=Considerando%20apenas%20a%20produ%C3%A7%C3%A3o%20de,R%24%2045%2C2%20bilh%C3%B5es.

https://www.sna.agr.br/infraestrutura-ruim-faz-o-brasil-perder-r-2-bilhoes-em-graos-em-uma-safra/

https://www.adealq.org.br/blog/perfil-da-infraestrutura-de-transporte-do-agronegocio-brasileiro-1875

Deixe seucomentário

pt_BR
en_US es_ES pt_BR