Logística

Como é dividida a infraestrutura de transportes do Brasil

Existem diversos tipos de transportes, tanto de pessoas como de mercadorias, separados por categorias: terrestre, aquaviário, aéreo e dutoviário. O objetivo do artigo a seguir é o debate em torno da infraestrutura de transportes de cargas, fundamental para realizar abastecimentos regionais e também para a exportação, prática econômica essencial para o país.

O Brasil é extenso e necessita de uma infraestrutura logística de qualidade. Mas, desde o século XX, entre os transportes terrestres, predomina o rodoviário para o transporte de cargas.

As ferrovias, que surgiram ainda no século XIX, foram as precursoras dos modais de transporte para escoamento de mercadorias, abrangendo as áreas mais produtivas do país durante um longo período.

Mas, depois da criação dos veículos automotivos, fundamentalmente os caminhões, houve uma troca significativa na preferência dos modais de transporte. 

Visando atrair empresas estrangeiras do ramo automobilístico, os governos do século XX deram preferência para o desenvolvimento das rodovias, e até hoje esse setor é predominante na infraestrutura de transportes no Brasil.

Divisão da infraestrutura de transportes atualmente

Divisão da infraestrutura de transportes atualmente

Dividido nessas categorias apresentadas acima, o Brasil demonstra uma clara preferência de construção em rodovias para a infraestrutura de transportes, como podemos perceber na extensão dos principais meios de transporte do país.

As rodovias possuem mais de 1.7 milhão de km de extensão, atingindo um alcance territorial muito superior ao dos demais modais de transporte.

As ferrovias, que representam o segundo meio de transporte de cargas mais utilizado, possui em torno de 29 mil km de extensão, um diferença gigantesca em relação às rodovias.

Mesmo que o transporte aquaviário seja menos utilizado, até ele possui uma extensão de quilometragem maior que a das ferrovias, cerca de 50 mil km de malha.

Falta de diversificação

Falta de diversificação

De acordo com os dados da Confederação Nacional de Transporte (CNT), a diversificação das quantidades de cargas carregadas pelos modais de transporte é bem desproporcional.

As rodovias representam cerca de 61% das cargas transportadas, quase o triplo das ferrovias (20,7%), enquanto que o setor aquaviário abrange em torno de 13,6%, totalizando mais de 95% da movimentação das cargas. O restante fica a cargo dos transportes aéreos e dutoviários, com representação bastante baixa. 

Essa falta de diversificação de infraestrutura de transportes no Brasil se dá por vários motivos, sendo o principal a falta de investimento. 

Segundo um levantamento da Confederação Nacional da Indústria (CNI), o país investiu apenas 2,18% do PIB em infraestrutura de transportes, ou seja, porcentagem que impede um crescimento expressivo da infraestrutura dos diferentes transportes nacionais.

As rodovias, que são predominantes, consequentemente recebem mais investimentos. A preferência pelas rodovias ao longo do século XX e também nos últimos anos tem alguns motivos, principalmente o alcance.

O setor rodoviário é praticamente o único capaz de abranger praticamente toda a extensão territorial do país, o que gera empregos em diversas regiões e proporciona o abastecimento de insumos para todas as localidades, o que não acontece com os outros modais.

Por isso, a infraestrutura de transportes de outros modais acaba sendo prejudicada e as rodovias seguem dominando o cenário nacional, o que representa um problema estrutural para o Brasil.

As rodovias possuem esse maior alcance, mas são também um dos modais que mais sofrem com a falta de infraestrutura de transportes. De acordo com dados do Departamento Nacional de Transportes Terrestres (DNTT), apenas 13% de toda a extensão da malha rodoviária é pavimentada, o que prejudica efetivamente a qualidade das viagens.

As ferrovias também sofrem com problemas de infraestrutura de transportes. As dificuldades de manutenção e criação de soluções para melhorar a qualidade das ferrovias fizeram com que muitas linhas ferroviárias fossem abandonadas e sucateadas. Estima-se que apenas um pouco mais de 11 mil km de um total de 29 mil km de linha ferroviária esteja funcionando em sua total capacidade.

A qualidade estrutural de pistas e ferrovias são problemas fundamentais, mas existem outras dificuldades que também atrapalham a melhoria da infraestrutura de transportes no Brasil, como a excessiva burocracia imposta pelo governo, que afeta principalmente o setor aéreo.

Um estudo realizado pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro mostra que o tempo para que as cargas sejam liberadas para voar é de 175 horas, mais de uma semana. 

Essa demora se dá principalmente pelo horário de trabalho dos operadores, que costumam operar apenas durante o expediente, em média de 6 horas por dia.

Questões como essa atrapalham o desenvolvimento da infraestrutura de transportes no Brasil, deixando o país muito atrás de outras potências mundiais. Para se ter uma ideia, nos Estados Unidos as cargas são liberadas em até oito horas, enquanto que na China são em apenas quatro horas, potencializando o uso do setor aéreo por essas nações. 

Logística e preço dos produtos

Logística e preço dos produtos

Essa falta de diversificação da utilização dos modais de transporte afeta diretamente a logística da infraestrutura de transportes e também o preço dos produtos, que se torna mais elevado pela falta de competitividade.

O transporte rodoviário, que é o mais usual, tem suas vantagens, mas também apresenta problemas importantes como o custo logístico por conta do frete e a demora das viagens realizadas pelos caminhões.

Os fretes rodoviários são caros, já que devem ser levados em conta os pedágios, o combustível e a manutenção dos veículos. Como uma viagem de caminhão, de um estado para outro, por exemplo, demora muito mais tempo quando comparada com a de trem, os custos naturalmente são mais elevados.

É uma questão de lógica: com os custos de frete e da viagem sendo maiores, os preços dos produtos se tornam maiores, prejudicando todos os consumidores nacionais e também dificultando o crescimento da exportação.

Por consequência, constantemente são discutidas maneiras de melhorar essa questão a fim de buscar soluções para tornar os outros modais de transporte mais competitivos, acompanhando a produção nacional.

Conclusão sobre a infraestrutura de transportes

Podemos concluir com o artigo que a competitividade dos setores de transporte é um dos fatores mais relevantes para que melhoremos a infraestrutura de transportes nacional. Aumentar a diversificação, gerando mais capacidade de transporte em ferrovias, transportes aéreos e aquaviários, eliminando um pouco a dependência do setor rodoviário é uma estratégia interessante. Para isso, os investimentos feitos na infraestrutura desses segmentos precisam ser maiores e melhor distribuídos. Tanto o governo como as empresas privadas de logística de transporte estão começando a perceber que é necessário aumentar a injeção de capital, pois só assim o transporte será expandido, acompanhando as demandas da produção nacional. 

Fontes:

https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/14707-asi-ibge-mapeia-a-infraestrutura-dos-transportes-no-brasil

https://setcesp.org.br/noticias/investimento-publico-em-infraestrutura-de-transporte-em-2019-e-o-menor-em-12-anos/

https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/cadernos/jc_logistica/2019/05/686263-quase-82-das-cargas-circulam-por-caminhoes-no-pais.html

http://www.tribunadonorte.com.br/noticia/a-matriz-de-transporte-no-brasil-a-desbalanceada-diz-professora/414652

https://brasilescola.uol.com.br/geografia/por-que-brasil-adotou-utilizacao-das-rodovias-ao-inves-.htm#:~:text=O%20Brasil%20durante%20o%20s%C3%A9culo,a%20quinta%20maior%20%C3%A1rea%20territorial.

https://www.todamateria.com.br/transportes-no-brasil/
https://www.prestex.com.br/blog/modais-de-transporte-de-carga-no-brasil-conheca-os-5-principais/
https://www.truckpad.com.br/blog/matriz-de-transporte-no-brasil-quais-sao-e-qual-e-a-mais-importante/#:~:text=Em%20rela%C3%A7%C3%A3o%20%C3%A0%20participa%C3%A7%C3%A3o%2C%20de,a%20carga%20transportada%20no%20pa%C3%ADs.

Deixe seucomentário

pt_BR
en_US es_ES pt_BR